Coming of Age no Horror: se tornar adulto pode ser aterrorizante

Coming of Age no Horror: se tornar adulto pode ser aterrorizante

Falei nos últimos dois textos (3 coletâneas brasileiras de terror para ler no Kindle Unlimited e Porém Bruxa, de Carol Chiovatto) sobre uma literatura mais voltada pro público infanto juvenil e jovem adulto, que é uma coisa que eu adoro, então resolvi explorar um pouquinho disso nos filmes de terror, mas focando no coming of age.

Coming of Age é um tipo de subgênero ou categoria de filmes que mostram o amadurecimento de seus personagens, a transição da infância para a vida adulta, aquele período da adolescência horrendo pelo qual passamos. Alguns dos filmes mais conhecidos dessa categoria são Fora de Série, Clube dos Cinco, Conta Comigo, Adoráveis Mulheres, Juventude Transviada, entre tantos outros.

Mas, claro: o terror também tem sua boa dose de coming of age. Não para menos, já que para algumas pessoas crescer pode ser horrível: bullying, desespero, e mais um milhão de sentimentos aterrorizantes. Afinal, uma das características mais fortes do terror é utilizar do medo e do desconforto que todos sentimos e aplicar suas metáforas e alegorias para transformar em coisas mais assustadoras ainda.

Desde antes mesmo de Carrie nós temos uma conexão entre o terror e o amadurecimento, apesar de ter sido ela uma das mais icônicas metáforas sobre o crescimento. Em Carrie, nós conhecemos uma jovem que sofre tanto em casa como na escola. Sua mãe, cristã fervorosa, acredita que a filha carrega o pecado dentro de si. Seus colegas de turma, por não compreenderem o atraso de Carrie em relação a eles (não se interessar por garotos, não entender como o corpo funciona e se assustar com a menstruação), acabam enchendo o saco da garota.

Mas Carrie tem um poder muito forte dentro de si, e pode se defender e se vingar de seus "colegas" durante o baile da escola, quando é posta a prova. Tanto livro quanto as adaptações para o cinema narram a mesma questão: o crescimento, o amadurecimento, pode explodir de dentro de você e chega uma hora que você não aguenta mais.


Algumas histórias góticas, antes de Carrie, utilizavam alguns elementos que seriam trabalhados no livro muitos anos depois: uma mocinha que precisa crescer e encontra os impedimentos terríveis em sua família, como o próprio Romance Siciliano, da Ann Radcliffe (fiz uma resenha dele aqui), entre tantos outros. Podemos encontrar esses elementos em contos de fadas, em Shakespeare, e até mesmo em alguns mitos gregos. Mesmo que a ideia de infância e de tornar-se adulto tenha mudado ao longo dos séculos, é uma transição importante, e foi transformada em história por muitos.

Como mencionado, sendo um momento de transição importante e sendo utilizado em tantas histórias, transformar isso em uma história de terror foi um movimento natural. Muito já foi dito, por exemplo, como a Chapeuzinho Vermelho pode ser considerado uma história de coming of age de uma garotinha que descobre uma série de problemas quando recebe uma responsabilidade maior por parte de sua mãe.

E isso é fascinante, visto que tantos fãs de horror iniciaram suas vidas nesse gênero a partir da infância. Talvez nem todos com um primeiro contato que fosse apropriado pra idade, mas enfim. R.L. Stine fez muito sucesso com seus livros infantis e juvenis por esse motivo: curiosidade infantil e adolescente, uma sede por saber mais desses assuntos estranhos e "proibidos", tabus e terrores.

Dicas de filmes

Além dos filmes mencionados, vários outros se encaixam na ideia de coming of age: Picnic at Hanging Rock, de 1975; Na Companhia dos Lobos, de 1984; Ginger Snaps, de 2000; Labirinto do Fauno, de 2006; Byzantium, de 2012 (que eu já falei sobre ele aqui); e até mesmo a adaptação de Sempre Vivemos no Castelo, bem como o livro (já falei dos dois aqui: filme | livro).


It, tanto o livro, como a adaptação de 1990 e as adaptações de 2017 e 2019, é uma das minhas histórias preferidas sobre o coming of age no horror, principalmente porque em It nós podemos acompanhar o que os acontecimentos daquele verão resultaram nos personagens quando adultos. Geralmente, nas histórias de coming of age no terror, acontecimentos traumáticos meio que forçam aquelas crianças a crescerem, mas nós não sabemos o que houve com elas depois. E eu gosto de saber o depois, gosto de ver o que houve com aqueles personagens que sofreram um terrível baque. Isso também pode ser visto em Conta Comigo, tanto o filme como o conto que deu origem a ele (e que comentei rapidamente aqui, na resenha do livro Quatro Estações).

Os dois livros citados, It e Conta Comigo, assim como Carrie, foram criações de Stephen King, que tem um tino muito interessante para lidar com essas histórias. Ele tem muitas outras, e seu filho, Joe Hill, também tem algumas (Nosferatu pode ser considerada uma história coming of age).

A Bruxa, Raw e Garota Infernal são três dos meus preferidos na questão do "amadurecimento aterrorizante". São três filmes em contextos diferentes que entregam uma situação em comum: garotas que estão entrando na vida adulta e descobrem um segredo terrível, que se torna um problema e que precisa ser resolvido por elas mesmas, sem nenhuma ajuda. Um balde de água fria para aqueles que esperam uma adolescência tranquila.


O coming of age no terror é um território interessante e cheio de possibilidades. É fácil encontrar ansiedades quando falamos de adolescentes ou crianças prestes a avançarem em suas idades, ou entrando na vida adulta, ou entrando na adolescência. Uma série de novidades acompanham esses momentos e, independente das mudanças que possam acontecer sobre como entendemos essas alterações de idade, sempre haverão desconfortos e medos para serem explorados. Infelizmente, como pode ser visto nos exemplos citados, falta diversidade nessas histórias. Esperamos que mais diretores percebam com interesse o terror do crescimentos e novas obras continuem chegando, nos trazendo novos R.L. Stines.




Jéssica Reinaldo

Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler acompanhada de um café quentinho. Siga nas redes: Twitter | Facebook | Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram