Os Salgueiros, de Algernon Blackwood: a estranheza do Weird Fiction e a insignificância diante do universo



Algernon Blackwood é um autor muitíssimo importante para a Weird Fiction, mas ainda pouco traduzido para o Brasil. Mas, recentemente, a Pyro Editora trouxe para nós o livro Os Salgueiros, uma das grandes obras do autor.
A Weird Fiction é uma subcategoria da ficção especulativa, que pode ter elementos fantásticos, de horror e de ficção científica, com tudo isso misturado, intercalando elementos ou com um único dos gêneros citados. Um dos seus maiores escritores conhecidos é H.P. Lovecraft, mas mesmo antes dele outros autores se utilizavam tanto do termo, quanto das possibilidades que essas junções traziam.
A ideia da WF é, assim como a ideia do terror, que está intrinsecamente ligada ao seu nome, de transmitir estranheza, e medo através dessa estranheza.

Algernon Blackwood (1869-1951) foi um desses autores que fizeram excelente uso dessa ideia para causar terror e retirar emoções de seus leitores. Em sua enorme lista de trabalhos, ao menos duas dezenas podem ser classificadas como WF pelos críticos (a lista completa pode ser conferida aqui).

Os Salgueiros conta a história de dois amigos que partem em uma viagem de barco pelo rio Danúbio. Mas, ao acamparem em uma ilhota, acabam percebendo que algo errado e maligno ronda aquele lugar. O terreno mexe com a cabeça dos dois, e ambos começam a refletir sobre as possibilidades do que estaria acontecendo por ali.

O livro é cercado por uma aura de estranheza e absurdo. Quando nosso personagem principal começa a descrever como se sentia, naquele momento, começamos a duvidar de sua sanidade. Talvez o problema na verdade seja ele, não? Mas ao longo da narrativa, principalmente quando seu acompanhante, chamado de Sueco, começa a dizer em voz alta os sentimentos que rondavam a mente e o coração do nosso protagonista, começamos e perceber que realmente existe algo de errado com o local.
"Longe de sentir medo, eu estava tomado por uma sensação de admiração e encanto que jamais conhecera. Eu parecia estar contemplando a personificação das forças elementais dessa região mal-assombrada e primitiva. Nossa intrusão havia colocado os poderes deste lugar em atividade. Éramos nós a causa desse distúrbio (...)"
Os Salgueiros, que dão nome à obra, são os responsáveis pelas primeiras impressões assustadoras de nosso narrador protagonista. A partir deles, e por causa deles, ele começa a descobrir sensações que não tinha sentido antes, o medo e o terror de não estar sozinho com seu companheiro em um local tão isolado, as tantas possibilidades que isso poderia significar.




Não somente é uma obra importante da Weird Fiction, como também é uma obra que traz elementos do Cosmic Horror. O horror cósmico é atribuído à ficção lovecraftiana, principalmente, e ambos os termos andam juntos para falar sobre, geralmente, uma mesma ideia: o que há no universo e pode nos destruir a partir do interior, que pode nos enlouquecer se percebermos o quanto não significamos nada. Uma de suas principais características é a insignificância humana perante esse universo, e como ele é um local com forças misteriosas e perigosas. Em determinado trecho do livro, por exemplo, o personagem Sueco afirma que:
"Há forças aqui perto que poderiam matar uma horda de elefantes em um segundo, tal como você e eu poderíamos esmagar uma mosca. Nossa única chance é permanecermos perfeitamente inalterados. Nossa insignificância talvez nos salve."
Lovecraft foi diretamente influenciado por aqueles que ele lia, e não é de se espantar que algumas das características que esses autoras já trabalhavam estivessem presentes em suas obras futuramente. Lovecraft escreveu sobre Blackwood que "a qualidade do gênio de Blackwood não pode ser posta em dúvida, pois ninguém se aproximou da habilidade, da seriedade e da minuciosa fidelidade com que ele registra as nuances de estranheza em coisas e experiências ordinárias", como consta na epígrafe da edição da Pyro.

E, é necessário dizer que a edição lançada pela Pyro é impressionante: com capa dura e edição bilíngue, temos um prefácio interessantíssimo assinado por Oscar Nestarez. Quem assina a tradução são Stefano Danin e Anna Civolani, com ilustrações de Leandro Benigno.

Se você gosta do pessimismo, da loucura e do constante assombro que existe na literatura de Lovecraft, e tem interesse em conhecer outras obras que também estão dentro das características de Weird Fiction e Horror Cósmico, Os Salgueiros, de Algernon Blackwood é uma excelente recomendação.

Para comprar o livro, no site da editora: Pyro

Este livro foi recebido da Editora Pyro como cortesia para resenha.

Jéssica Reinaldo

Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler acompanhada de um café quentinho. Siga nas redes: Twitter | Facebook | Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram