Drácula, 1896, de Bram Stoker.


Em 1896, Bram Stoker publicou o que viria a ser o grande modelo de vampiro para o século seguinte. Baseado em uma série de histórias de outros vampiros, algumas lendas estranhas do leste europeu, e com um enorme fundo político, Drácula se tornou um dos grandes livros de terror da história.


A história de Drácula possui uma narrativa incomum: não é através de diálogos comuns, mas através de cartas, diários e recortes de jornais que compreendemos a história do livro. Não com um, mas com vários narradores.
Jonathan Harker, o primeiro personagem apresentado, viaja até os Montes Cárpatos para fechar negócio com um conde da região. Apesar de todos os indícios, de todos os sinais de que algo horrível acontece naquelas terras, Harker continua em sua missão. É seu trabalho, e ele precisa cumpri-lo.
Em seguida, conhecemos Mina Murray, noiva de Harker, que escreve uma carta para Srta. Lucy Westenra. Mina também contribuiu com seus diários para juntarmos os pedaços da história. Dr Seward, outro dos narradores, escreve para Arthur Holmwood, pretendente de Lucy. Os diários de Seward também são utilizados. Alguns muitos outros personagens aparecem nesses registos. Apesar de importante para a trama, somente um registro de Van Helsing em primeira pessoa consta no livro. Porém, é como se todos os personagens tivessem elogios para fazer sobre o personagem.

Em poucos dias Harker percebe que realmente há algo errado acontecendo no terrível castelo de Drácula, e passa a se sentir um prisioneiro. Através do olhar de Harker percebemos indícios de quem, ou o quê, poderia ser o conde. Suas descrições são terríveis: tem pelos nas mãos, seu nariz é aquilino, testa alta, sobrancelhas muito espessas, tinha um farto bigode que escondia sua boca, que era cruel, dentes muito brancos e afiados. Além disso, Harker um dia vê que Drácula não tem reflexo e o vê escalando as paredes do lado de fora do castelo, como se fosse um lagarto.
Enquanto isso, na Inglaterra, conhecemos Mina Murray, Lucy e os pretendentes de Lucy, e é interessante como o enredo se desenvolve a partir daqui: Drácula consegue partir para a Inglaterra, e chegando lá, encontra em Lucy uma vítima fácil. ao juntar os pontos, enquanto Harker tenta retornar para casa, Mina, Van Helsing (um estudioso da medicina e que conhece muito sobre lendas), e os pretendentes de Lucy, se unem para descobrir o que está havendo, até chegarem ao próprio conde.

As pistas e a perseguição contra o Drácula tem um ritmo interessante; apesar do início um pouco difícil, do meio adiante o livro se torna mais rápido e fluido. Algumas coisas irritam, principalmente algumas das passagens dos diários de Mina Murray, mesmo ela sendo uma das melhores e mais eficientes personagens da trama. Vários detalhes sobre as personalidades dos personagens saltam aos olhos, principalmente se você conhece um pouco do contexto do final do século na Inglaterra, mas isso é somente um complemento ao texto, que pode ser lido tranquilamente sem isso também.

Drácula tem um pouco de tudo: investigação, romance (entre Mina e Jonathan, não entre Drécula e Mina pois isso surgiu já no cinema, não no livro), e cenas estranhas próprias de um livro de terror.
O vampiro que vemos em Drácula é um vampiro aristocrata, com dinheiro, com propriedades e bens. É um vampiro "maldoso", que está disposto a conquistar um território que não é o natural dele, através de seus poderes sobrenaturais.
Antes dele, muitos outros modelos de vampiros surgiram nas histórias do século XIX. Outros vampiros aristocratas, vampiros camponeses, vampiras mulheres, e todos eles tiveram um pouquinho de significado na construção de Drácula. Figuras históricas, como Vlad Tepes e a Condessa Erzebet Bathory também contribuíram para isso. Além disso, em 1892, nos Estados Unidos, houve um acontecimento com uma mulher chamada Mercy Brown. Mercy Brown foi um caso documentado sobre uma exumação de corpo para realizar um ritual e banir um espírito. Ficou então conhecida como uma vampira, e pode ter servido de inspiração para a criação da personagem de Lucy Westenra. Sua história pode ser vista no seriado Lore, disponível no serviço de streaming Amazon Prime, ou lida no livro O Mundo de Lore: Criaturas Estranhas.



A importância do livro é tanta que um incontável número de adaptações e de utilizações do personagem foram feitas durante o século XX e ainda hoje no XXI. Seja em desenhos, filmes, quadrinhos, em universos compartilhados com outros monstros, o vampiro se tornou uma figura importante para a cultura pop, e é uma das criaturas mais interessantes de serem analisadas ao longo de suas tantas representações.

Várias edições de Drácula existem no mercado brasileiro. A edição da DarkSide, entretanto, contém algumas partes especiais, como o poema O Vampiro, de Charles Baudelaire; o conto O Convidado de Drácula, que serviria de prefácio para o próprio livro conforme afirmam alguns estudiosos; algumas resenhas e entrevistas sobre Drácula, uma galeria de imagens de algumas das adaptações da história para o cinema; entre outros.

Você pode comprar Drácula na loja da DarkSide: Capa amarela | Capa preta.
Ou pela loja da Amazon: Capa amarela | Capa preta.

E, caso você tenha interesse em saber um pouquinho mais sobre a história dos vampiros no século XIX, e como isso se tornou um assunto da moda no século, tenho uma monografia inteirinha sobre o assunto, que você pode acessar aqui: O vampiro fin-di-siècle: História, Literatura e Imperialismo em Drácula, de Bram Stoker (1897)
Mais informações sobre o Drácula: The Books that made Dracula
Lista de obras de Bram Stoker: Bram Stoker

Jéssica Reinaldo

Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler acompanhada de um café quentinho. Siga nas redes: Twitter | Facebook | Instagram

Um comentário:

  1. Dracula foi um dos primeiros livros de "terror" que li quando era adolescente. E até hoje tenho um amor imenso pela história. <3
    Excelente texto!

    ResponderExcluir

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram