Resenha: A Menina do Outro Lado, de Nagabe, e o medo do outro

Resenha: A Menina do Outro Lado, de Nagabe

Um dos lançamentos mais aguardados da DarkSide Books recentemente foi o mangá do mangaká Nagabe, A Menina do Outro Lado (Totsukuni no Shoujo), que foi traduzido para o português diretamente do japonês por Renata Garcia.

O mangá conta a história de Shiva, uma garotinha, e seu Sensei, que habitam um mundo dividido entre "pessoas de dentro" e "forasteiros". Shiva aguarda com Sensei enquanto sua tia não vem busca-la, no mundo de fora, desabitado por humanos normais, como as "pessoas de dentro". Neste primeiro volume conhecemos um pouco sobre a suposta maldição, em que dois deuses acabaram separando o mundo entre esses dois grupos. Caso uma pessoa de dentro encoste em um forasteiro, a maldição é passada.

A questão é que o grupo dos forasteiros são vistos como monstros. Sensei é uma figura com corpo humano mas uma cabeça com chifres e um rosto bastante estranho, enquanto as pessoas de dentro são bastante comuns; Shiva, inclusive, é uma garotinha muito doce e inocente.

Em um entrevista com Nagabe para o site Pixivision, o autor afirma que gosta de trabalhar com formas animais e pensou muito no contraste para criar os desenhos. Como dito na entrevista, o mangá inteiro é uma experiência de contrastes: branco e preto, dentro e fora.

A Menina do Outro Lado, além de ser um trabalho belíssimo de Nagabe e conter uma história incrível sobre uma garotinha e seu protetor, ainda contém uma série de discussões e debates subentendidos. Um dos temas tratados de forma bem evidente e objetiva no mangá é o medo que o Outro representa. O forasteiro é uma ameaça, essa maldição é uma ameaça, e estar em contato com esse Outro é aterrorizante e preocupante.

A Menina do Outro Lado, de Nagabe, e o medo do outro

O medo do Outro e a alteridade são temas comuns em obras de terror, desde que o gênero começou a se consolidar em meados do século XIX. O Outro é assustador pois é desconhecido, e por ser desconhecido é considerado uma ameaça. Vimos isso em livros escritos durante o período do Imperialismo Britânico, como Drácula, de Bram Stoker, ou Coração das Trevas, de Joseph Conrad, passando por muitos outros durante o século XX, e ainda hoje, no XXI. Jornais nos mostram todos os dias como fronteiras são fechadas para imigrantes, como a batalha contra culturas diferentes são tratadas principalmente no Ocidente. No Oriente, por exemplo, o Japão permaneceu fechado para outros países até o século XVII (e mesmo assim, quando aberto, não foi muito bem aceito por várias facções dentro do próprio país).

Entre tantas questões que isso envolve, uma delas é o receio de que o Outro entre onde é seguro. É algo que concerne ao mundo todo: deixaremos pessoas "estranhas" e desconhecidas entrarem em nossas vidas? E quando essa pergunta é respondida com uma resposta negativa, consequências como grandes muros, muralhas, defesas para ameaças invisíveis e inexistentes aparecem e são postas em prática.

Shiva não sente medo do Sensei, porque é uma criança e não reconhece essa atitude de defesa, o que reforça a característica inocente, e o Sensei a mantém em segurança. Porém, os soldados de dentro, ao encontrarem alguém de fora, tem o primeiro instinto de se defender e atirar. Eles foram acostumados a sentir medo do que vem de fora. Assumem uma defesa que, pelo que vemos a partir de Sensei, não tem muita necessidade, visto que ele é uma pessoa tranquila que só quer proteger Shiva.

É um mangá que vale muitíssimo ler, dar de presente para os amigos, compreender suas mensagens e discussões. O debate sobre o Outro não é algo de hoje, é bastante antigo, mas sempre necessário de ser retomado, e Nagabe, mesmo que inconsciente, faz isso de uma forma leve e delicada, com exemplos bastante claros.
Recomendado para quem gosta de narrativas rápidas, uma arte muitíssimo linda e uma história incrível.

Você pode comprar o mangá nos seguintes links: Amazon | Loja DarkSide
Comprando pela Loja DarkSide você aproveita as vantagens Dark Experience, com dois pôsteres exclusivos de brinde (edição limitada).

ATUALIZAÇÃO:

Foi anunciado que o mangá será adaptado para um curta animado, com estreia prevista para 10 de setembro desse ano. Mais informações: DarkBlog.

Jéssica Reinaldo

Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler acompanhada de um café quentinho. Siga nas redes: Twitter | Facebook | Instagram

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram