Resenha: A Bruxa do Olho de Vidro, de Maud Epascolato


Sou uma grande admiradora de contos de terror. Criar uma atmosfera tensa e assustadora para poucas páginas é tão difícil quanto manter uma narrativa tensa e assustadora para muitas páginas, mas sinto certa satisfação ao ler algo que me tire o fôlego de uma vez, me atinja sem que eu perceba exatamente o que foi.
Foi o sentimento que tive ao ler A Bruxa do Olho de Vidro, de Maud Epascolato.

De início é um conto que segue por rumos de Contos de Fadas. Percebemos que Leandro, o garotinho principal da história, é um garoto com uma imaginação bastante fértil. Quem nunca entrou em uma casa antiga assustadora para brincar de esconde-esconde ou achou que sua babá era um tipo de bruxa que comia criancinhas? Eu já fiz ambos, e posso dizer que Leandro é uma criança bastante comum, o que torna bastante fácil de se colocar no lugar do protagonista, que quer desbravar e conhecer os locais assustadores em que está confinado até que sua mãe chegue do serviço.

Mas do meio do conto para o final, as coisas mudam bastante de rumo, e é nesse momento que o verdadeiro trem descarrilhado de emoções nos atinge.

Um crime foi cometido na casa velha e antiga que Leandro está brincando, a casa de sua babá assustadora. Sra. Amarílis tem a descrição de uma senhora que poderia facilmente ser a bruxa de qualquer história infantil, e tudo nos leva a crer que é mesmo. A jogada, entretanto, é mostrar como nem sempre as aparências são o que mostram.

A história de Sra. Amarílis é bastante triste e trágica, mostrando como nem sempre fazer justiça com as próprias mãos é a melhor saída, a melhor maneira de se lidar com as situações que nos aparecem. Discernimento é a coisa mais importante ao se julgar alguém, ainda mais quando falamos de mulheres e principalmente quando falamos de pessoas que não conhecemos.

A narrativa de Maud é fluida e a forma como conta sua história é interessante. O início pode parecer meio difícil e enrolado, um pouco lento talvez, mas logo começamos a entrar de cabeça na história, e queremos muito entender o que acontece naquela vizinhança, qual a história de Sra. Amarílis, por que Leandro se sente tão acuado naquela casa e o que poderia ter acontecido ali. Como já mencionado, é fácil se colocar no lugar de Leandro, de querer descobrir mais, e é compreensível que sua mente vague por tantos lugares. Maud utiliza de diferentes elementos do terror em vários momentos, o que só torna o conto mais interessante.

É uma leitura rápida e gostosa para um final de tarde, em que a gente só quer ler algo que vá nos deixar apreensivos pelo resto da noite. Não tanto pelo medo de fantasmas ou situações sobrenaturais, mas sim pela maldade que pode acontecer entre os cidadãos de bem, com denúncias que nem sempre são apuradas como deveriam.

O ebook pode ser comprado no site da Amazon por R$0,99: A Bruxa do Olho de Vidro
Caso não tenha um leitor kindle, o aplicativo pode ser baixado para PC, tablet ou celular AQUI.

O livro físico pode ser adquirido no site da Editora Lendari AQUI.



Jéssica Reinaldo

Formada em História, escreve e pesquisa sobre terror. Tem um afeto especial por filmes dos anos 1980, vampiros do século XIX e ler tomando um café quentinho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários educados são sempre bem recebidos!

Mas não aceito nem tolero ofensas, comentários impossíveis de compreender, spams e qualquer tipo de intolerância.

Os comentários são moderados, por isso aguarde a aprovação!

Instagram